Região

Sistema de esgotamento sanitário de Tacaimbó está em fase de testes

Já está em pré-operação a primeira obra  de esgotamento sanitário executada pela Companhia Pernambucana de Saneamento-Compesa,  ação integrante do  Programa de Saneamento Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Ipojuca (PSA Ipojuca), que busca  atender com serviços de esgoto  as cidades que são banhadas pelo manancial em Pernambuco. A primeira cidade  beneficiada é Tacaimbó, situada no Agreste do Estado, que agora conta com um sistema de coleta e tratamento de esgoto que vai levar mais saúde e qualidade de vida para 8 mil moradores da cidade.

Em fase de testes, o SES de Tacaimbó já iniciou o tratamento de esgoto doméstico antes de ser lançado no Rio Ipojuca, reduzindo cargas poluidoras no manancial e promovendo a melhoria dos indicadores de qualidade das águas do rio. O sistema é formado por uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), com capacidade para tratar 37 litros por segundo, e uma Estação de Bombeamento. Ainda foram implantadas 27 mil metros de rede coletora e ramal condominial, além de 1.652 ligações domiciliares, até o momento. A ETE vai tratar o esgoto a nível secundário, utilizando o método reator anaeróbio de fluxo ascendente, considerado muito econômico e eficiente, seguido de lodo ativado (processo que destrói os poluentes orgânicos biodegradáveis).

A obra  foi iniciada em agosto de 2015 e executada com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), cerca de R$ 16,9 milhões, viabilizados por meio de empréstimo feito pelo Governo do Estado. Calcula-se que o SES Tacaimbó gerou cerca de 250 empregos diretos e indiretos, principalmente para os moradores da região. “Este é um projeto importante que leva melhoria da qualidade de vida para a população de Tacaimbó, além de promover o desenvolvimento da cidade, A obra integra o programa de sustentabilidade ambiental da bacia do Ipojuca, que visa justamente a despoluição do rio, um dos mais poluídos do Brasil”, explica o diretor Técnico de Engenharia da Compesa, Rômulo Aurélio Souza.

O SES de Tacaimbó também vai possibilitar o desenvolvimento de outras ações inovadoras, como a oportunidade de reutilização do efluente tratado do esgoto para fins agrícolas, através de estudo que serão realizados durante o PSA Ipojuca. Com os recursos do BID, também serão implantados o Sistema de Esgotamento Sanitário em Gravatá, Sanharó, Bezerros, Caruaru, Belo Jardim e Escada.

 

Deixe um comentário

X