Região

Sete internos foram mortos a mando de 3 líderes na Funase de Caruaru, PE

Três jovens de 18 anos foram apontados como os mandantes da morte de sete de internos da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Caruaru, Agreste de Pernambuco. Em coletiva realizada nesta terça-feira (6), o delegado Francisco Souto Maior disse que eles ordenaram os crimes para matar desafetos. As mortes aconteceram em 30 de outubro.

Em entrevista à TV Asa Branca, Souto Maior afirmou que “eles [os três supostos líderes] tinham uma posição de comando dentro da Funase, e com objetivo de assassinar seus desafetos, determinaram que outros adolescentes da instituição praticassem esses crimes”. A suspeita da polícia é que doze adolescentes participaram das mortes.

Ainda segundo o delegado, foi pedido à Justiça que o trio – que supostamente liderou a rebelião – seja colocado em uma instituição para cumprimento de pena de pessoas acima de 18 anos. “Pedimos a prisão preventiva e aguardamos agora a deliberação do poder judiciário. Sobre os menores, nós concluímos a investigação e encaminhamos ao Ministério Público para que possa tomar as providências necessárias.”, explicou Souto Maior.

Entenda o caso
Sete internos foram mortos durante uma rebelião nod ia 30 de outubro na Funase de Caruaru. De acordo com a Polícia Militar, dos sete, seis morreram queimados e um foi mutilado. Três vítimas tinham 14 anos, duas tinham 15, uma 17 e outra 18.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, anunciou o o advogado Roberto Franca como o novo presidente da Funase no dia 31 de outubro. A mudança ocorreu logo após a rebelião que deixou sete mortos na unidade de Caruaru da fundação.

Deixe um comentário

X