Saúde

Passar menos tempo sentado no trabalho reduz chances de morrer por alterações cardiovasculares, câncer, diabetes e colesterol, aponta pesquisa

433 mil mortes – cerca de 4% dos falecimentos no mundo – poderiam ser evitadas se as pessoas passassem três horas a menos sentadas por dia. Esse é o resultado de uma pesquisa desenvolvida nas Universidades de São Paulo e na Federal de Pelotas com base em dados da Organização Mundial da Saúde sobre o tempo médio de permanência sentado em 54 países. De acordo com o levantamento, os riscos de morte estariam relacionados a alterações cardiovasculares, alguns tipos de câncer, diabetes e colesterol e aumentam a cada hora que se passa a mais na cadeira. Dizem os especialistas que ficar 4 horas, por exemplo, eleva o risco em 2%, chegando a 18% após 9 horas.

Outra pesquisa diz que permanecer sentado é o novo fumar, já que o risco de ter um ataque cardíaco é aproximadamente o mesmo se comparado uma pessoa que fuma com outra que passa a maior parte do dia em cima de uma cadeira. Até mesmo para quem faz parte do time que trabalha muito e depois vai para a academia a notícia não é boa: nem sempre os exercícios pós-escritório são o bastante para compensar os efeitos negativos de oito ou mais horas parado.

Para mudar esse cenário, é fundamental que os ambientes social e corporativo sejam alterados de forma a incentivar opções mais saudáveis.

Deixe um comentário

X