Educação

Descubra as vantagens de aprender inglês na infância

Conectando pessoas de diversos países, o inglês atualmente é falado por cerca de 730 milhões de pessoas. O idioma também é visto como o principal dos negócios por 91% dos executivos entrevistados pela companhia de tecnologia global Business English Index/Global English. Nesse contexto, surge a necessidade de aprender a língua cada vez mais cedo. Alguns especialistas, inclusive, defendem que quanto antes a criança tiver contato com o idioma, mais segurança e confiança ela terá.

“Quando os pequenos crescem aprendendo inglês, o idioma se torna natural para eles, que acabam dominando melhor a língua. Este, inclusive, é um ponto que pode fazer a diferença lá na frente, no futuro profissional dessas crianças”, explica a diretora pedagógica da escola de inglês Red Balloon, Daniela Arnaud. Segundo a profissional, a chave para o sucesso é começar logo no início da infância, pois, entre os 2 e 4 anos, as crianças contam com uma grande capacidade para assimilar informações e aprender línguas. “Outra vantagem de iniciar o aprendizado cedo é driblar o sotaque e os vícios de linguagem”, acrescenta Daniela.

O ensinamento, no entanto, é melhor assimilado quando repassado aos pequenos de forma lúdica. “O curso ideal para as crianças é interativo e utiliza recursos como brincadeiras, músicas, aplicativos e histórias, de acordo com a idade e a realidade dos pequenos”, explica Daniela. Para os pais apreensivos em matricular os filhos no inglês antes da alfabetização, a diretora pedagógica garante que isto não é problema. “O aprendizado do inglês, assim como o português, é feito por etapas, ‘ouvir, falar, ler e escrever’. Então, neste início, eles não lidam leitura e escrita, e sim com vocabulário”, explica a profissional.

A especialista Carla Takemori, coordenadora de operações pedagógicas da Seven Idiomas, garante ainda que ensinar o inglês e a língua materna ao mesmo tempo não confunde a criança. “Estudos mostram que a criança que tem contato com vários idiomas vai desenvolver habilidades, como a socialização, de forma mais apurada”, explica, destacando que as aulas precisam ser adaptadas a cada faixa etária.

Para começar a ensinar inglês aos pequenos, a dica de Takemori é estimular o contato com o idioma através de jogos, filmes e desenhos animados. “Não existe restrição de idade [para iniciar o aprendizado da língua inglesa], quanto mais cedo os pequenos começarem o aprendizado melhor será o aproveitamento. Como na língua materna, as crianças não são expostas a regras gramaticais de estrutura da língua até certa idade”, comenta a coordenadora de operações pedagógicas da Seven Idiomas.

Se a criança mostra certa resistência, a orientação é apostar no estímulo, como lembra a diretora pedagógica da escola de inglês Red Balloon, Daniela Arnaud. “Atividades que seduzam os pequenos são essenciais no processo. Mas é fundamental oferecer à criança um ambiente confortável e seguro, no qual ela se sinta à vontade para experimentar essa nova língua”, diz a profissional.

Na casa da família Magalhães, ‘quanto antes melhor’. “As crianças pequenas têm muita facilidade para aprender e o inglês se torna algo natural, elas já crescem familiarizadas com a língua. O que, com certeza, fará diferença no futuro delas”, considera Manuela Magalhães, mãe de Marina, de 6 anos. No inglês há um ano, a garota também pratica fora do horário de aula. “Ela insere as palavras no idioma no meio das frases quando está conversando com a família, nós incentivamos que ela pratique, e também fala com a tia, que mora na Irlanda, em inglês”, diz Manuela.

5 dicas para acelerar o aprendizado do inglês

Incentive os pequenos a participarem de eventos onde eles poderão usar a língua inglesa fora do ambiente da sala de aula. Quando possível, aproveite para também participar das atividades, pois a presença dos pais ou responsáveis pode motivá-los a “comprar” essa ideia. Outra alternativa é o uso de aplicativos em inglês que ajudam no aprendizado de forma divertida e lúdica. Os apps, além de contar com diferentes recursos, ajudam a memorizar o conteúdo.

Quanto mais a criança estiver em contato com a segunda língua, melhor. Caso algum responsável saiba falar inglês, comunicar-se nesta língua com os pequenos é uma ótima ideia. Assim, aos poucos, eles conquistarão segurança e conforto para usar idioma. Se a família costuma usar o GPS, uma boa dica é trocar o idioma do aparelho para o inglês. Como isso, a audição e interpretação é praticada.

A leitura é uma prática que deve ser estimulada desde cedo e esta prática em uma segunda língua pode acelerar o processo de aquisição de vocabulário, mesmo que o aluno não saiba ler sozinha. Se a criança for maior, ler jornais ou sites de notícias internacionais também é uma boa saída para praticar o inglês. A dica aqui é ler notícias a respeito de algo que o pequeno já tenho lido sobre em português, facilitando a compreensão.

Muito musicais, as crianças e adolescentes podem ser motivadas a ouvir músicas em inglês, a fim de que eles habituem-se à fonética da língua. Nos serviços de streaming como Deezer e Spotfy, podcasts, vídeos e canais no YouTube existem playlists para todas as idades. Se possível, é bom ter em mãos a letra em inglês.

Estudos já comprovaram que a memória torna-se poderosa quando estamos diante de imagens, bem como quando nossas emoções são afetadas. Sendo assim, procure estimular os pequenos a assistirem filmes e programas de televisão com o áudio em inglês. A relação entre a imagem e o áudio ajuda na compreensão do uso adequado das frases e, assim, eles se acostumam ao som das palavras em inglês.

Fonte :

Ne10

Deixe um comentário

X