Região

Chuva faz subir níveis de barragens em Pernambuco e deixa famílias desalojadas

As chuvas desta terça-feira (29) estão ajudando a elevar o nível das barragens que abastecem Pernambuco. O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, informou que a situação dos reservatórios do Estado é satisfatória. No Agreste, entretanto, os níveis de água ainda estão críticos. Nos municípios de Barreiros e Rio Formoso, na Zona da Mata, as chuvas deixaram mais de 30 famílias desalojadas.

Com as precipitações na região do Pajeú e do Alto Pajeú, a barragem de Boa Vista chegou a sangrar. “Dessa forma, podemos voltar a abastecer a cidade de Itapetim, que há mais de dois anos tem o fornecimento de água feito praticamente apenas com caminhões pipa”, comemora Tavares. A chuva também caiu sobre barragem de Cachoeira, que abastece Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco.

O município de São José do Egito, também no Sertão, voltará a ser abastecido pelas barragens de São José I e II. “A cidade era fornecida de água pela adutora do Pajeú, mas agora os reservatórios estão com mais de 50% da capacidade”, explica o presidente da Compesa. Ele destaca ainda que a barragem de Brotas, em Afogados da Ingazeira, também deve ter se beneficiado pela chuva, mas que os dados ainda não estão disponíveis.

Ainda de acordo com o presidente da Compesa, a alta no volume das barragens vai melhorar o abastecimento nas cidades. “A adutora do Pajeú foi pensada para funcionar em duas etapas. A primeira indo até Afogados da Ingazeira e a segunda, que seria alimentada a partir da Transposição do Rio São Francisco, seguiria até São José. Mas, como a transposição não está pronta, estamos usando a água da primeira etapa para abastecer as duas etapas”, diz Tavares, afirmando que dessa forma foi preciso diminuir o fornecimento para cada cidade  a fim de que a água chegue até São José do Egito. “Com essa chuva de agora, poderemos reequilibrar e melhorar a distribuição”, completa.

A barragem de Belo Jardim, no entanto, está em uma situação complicada e desta quarta-feira (30) até aproximadamente o dia 10 de abril será realizado o último ciclo de abastecimento, conforme o presidente da Compesa. “Choveu apenas 16 milímetros. Se não chover mais teremos que entrar com os caminhões-pipa e, para atender uma cidade como Belo Jardim, são necessários mais de 80 caminhões”, pontua Tavares.

Em relação à barragem de Jucazinho, Roberto Tavares afirmou que o nível deixou de cair, mas ainda não voltou a subir. O reservatório é o principal manancial de água do Agreste, localizado no município de Surubim, e é responsável pelo abastecimento de 16 municípios. Em junho do ano passado, a barragem, que pode acumular 327 milhões de metros cúbicos (m³), atingiu sua média histórica negativa, chegando a 5,3% do volume que é capaz de armazenar.

CONSEQUÊNCIAS

De acordo com a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), 30 famílias ficaram desalojadas por conta das chuvas que caíram em Barreiros, na Zona da Mata de Pernambuco. O município foi o que registrou o maior nível de chuva no Estado, com uma média de 121.9 milímetros entre às 9h dessa terça-feira e às 6h desta quarta-feira (30). Em Rio Formoso, na mesma região, choveu 90.8 no Centro e 113.4 na área do Cocaú. As precipitações deixaram duas famílias desalojadas na cidade e provocaram dois deslizamentos de barreira. Ninguém ficou ferido e não houve danos materiais. Ainda não se tem informações de para onde essas famílias serão levadas.

Fonte: Jornal do Commércio

Deixe um comentário

X