Belo Jardim Histórico

Matriz da Conceição: 132 anos presente na história de Belo Jardim

A primeira vez que Belo Jardim foi citada é nos livros de TOMBO, no documento referente às doações das sesmarias no séc. XVII, a duas pessoas, que são Lázaro Frazão e João Lins, com o passar do tempo, essas sesmarias foram divididas em fazendas, até chegar a fazenda do capim, que é a partir da qual Belo Jardim se desenvolveu entre os 3 principais centros urbanos da época: Brejo da Madre de Deus, São Bento do Una e Pesqueira.

Em 1884 pela lei de 1830 é elevada a condição de freguesia, esse fato dava a Belo Jardim uma autonomia um pouco maior, pois tinha um conselho pra tomar decisões, então se tornava um pouco independente da SEDE, é um momento muito importante pra Belo Jardim, nesse período há alguns acontecimentos: Missões (padres capuchinhos) realizando missas, visitas e procissões, casamentos, confissões, visitas pastorais. E a partir de 1918, Belo Jardim passa a fazer parte da diocese de Pesqueira, permitindo que o bispo sempre visitasse nossa cidade frequentemente e ver como andava a freguesia.

A construção da Matriz da Conceição está atrelada a uma antiga oleria ( lugar que se faz tijolos) que existia onde atualmente é o Bairro da Lagoa. Na época eram feitos mutirões de doações para erguer a igreja, às pessoas iam a pé pegar tijolos para levarem até o local que foi erguida a igreja.

É então que no final da década de 1930, os padres começaram a usar a imagem de São Sebastião pra realizar missas nos sítios ( pertencentes a BREJO e Pesqueira) e arrecadar fundos pra compra da casa paroquial, até então os padres viviam de aluguel.

Deixe um comentário

X